Fundo
Sexta-feira, 01 de Julho de 2022
Paulinas - A comunicação a serviço da vida

Evangelho do dia 01/07/2022

13ª Semana do Tempo Comum - Ano C - Verde
1ª Leitura: Am 8,4-6.9-12 Salmo: Sl 119(118) - Não se vive somente de pão, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.
evangelho
Misericórdia eu quero, não sacrifícios - Mt 9,9-13

Ao passar, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu-o. Depois, enquanto estava à mesa na casa de Mateus, vieram muitos publicanos e pecadores e sentaram-se à mesa, junto com Jesus e seus discípulos. Alguns fariseus viram isso e disseram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os publicanos e pecadores?” Tendo ouvido a pergunta, Jesus disse: “Não são as pessoas com saúde que precisam de médico, mas as doentes. Ide, pois, aprender o que significa: ‘Misericórdia eu quero, não sacrifícios’. De fato, não é a justos que vim chamar, mas a pecadores”.

Bíblia Sagrada, tradução da CNBB, 2ª ed., 2002.
Clique nos títulos para ler o conteúdo.
Oração Inicial




“Aprendei, pois, o que significa: Quero misericórdia e não sacrifício”. Todos os dias aprendemos com as atitudes e palavras de Jesus. Será que não fazemos também como os fariseus julgando o agir do próprio Deus? Vamos refletir e orar sobre essa Palavra de hoje.
Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)

Leia o Evangelho com atenção e perceba quem são os personagens presentes na narrativa. Por que alguns criticam Jesus? Quem são esses? Repare como o olhar de Jesus sempre alcança os necessitados. Ele veio para trazer a libertação e nos possibilitar a vida em plenitude.

Evangelho: Mt 9,9-13 Ao passar, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu-o. Depois, enquanto estava à mesa na casa de Mateus, vieram muitos publicanos e pecadores e sentaram-se à mesa, junto com Jesus e seus discípulos. Alguns fariseus viram isso e disseram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os publicanos e pecadores?” Tendo ouvido a pergunta, Jesus disse: “Não são as pessoas com saúde que precisam de médico, mas as doentes. Ide, pois, aprender o que significa: ‘Misericórdia eu quero, não sacrifícios’. De fato, não é a justos que vim chamar, mas a pecadores”.

“A atuação de Jesus chama a atenção. Ele convida um cobrador de impostos para segui-lo, para fazer parte do seu grupo. E depois o vemos sentado à mesa com publicanos e pecadores, pessoas consideradas impuras segundo a Lei do seu povo. Nos dois casos, ele age contrariando as normas que visavam conservar a santidade e a pureza dos membros do povo de Deus, separando-os de estrangeiros, profissionais descuidados com as leis de purificação e qualquer suspeito de não ser praticante da Lei. O foco de Jesus não está nas normas, mas nas pessoas e em suas necessidades. Assim, age com liberdade e recorda que Deus quer, antes tudo, a misericórdia, a compaixão, o amor pelo necessitado.” (Viver a Palavra – 2022. Pe. João Carlos Ribeiro - Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

Observando o chamado de Mateus, permaneça em silêncio por alguns instantes e procure identificar o que o Evangelho diz a você. Como Jesus se revela para você neste dia?
Depois verbalize para você: Eu, pessoalmente, compreendo a atitude de Jesus?
Minhas atitudes são misericordiosas ou pautadas por normas e legalismos?

Oração (Vida)

O Senhor é nossa força, consolo e abrigo. A Ele entregamos nossa vida e este novo dia. A Ele confiamos as pessoas que amamos e todas aquelas com as quais partilharemos a vida mais de perto.

“Senhor Jesus, tu és o Caminho. Em meio a sombras e luzes, alegrias e esperanças, tristezas e angústias, Tu nos levas ao Pai. Não nos deixes caminhar sozinhos. Fica conosco, Senhor! Tu és a Verdade. Desperta nossas mentes e faze arder nossos corações sedentos de justiça e santidade. Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em ti. Fica conosco, Senhor! Tu és a Vida. Abre nossos olhos para te reconhecermos no ‘partir o Pão’, sublime sacramento da Eucaristia. Alimenta-nos com o Pão da Unidade. Sustenta-nos em nossos sofrimentos, faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos. Fica conosco, Senhor! Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, no vigor do Espírito Santo, faze-nos teus discípulos missionários. Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser alegres no caminho para a Terra Prometida. Corajosas testemunhas da verdade libertadora. Promotores da vida em plenitude. Fica conosco, Senhor! Amém” (Oração composta pela Arquidiocese de Brasília).

Contemplação (Vida e Missão)

Depois de orar com essa Palavra que sentimentos habitam seu coração? Como pretende ser grato(a) a Deus pelas muitas vezes que você foi beneficiado(a) pela misericórdia de outros? O que você se propõe a viver?

Bênção

- Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. - Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém. - Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém. - Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

Nos relatos de Mc 2,13ss e Lc 5,27ss, o mesmo cobrador recebe o nome de Levi, mas aqui ele é chamado de Mateus. Daí antiga tradição supor que Mateus tenha dois nomes, Mateus Levi. Os cobradores de impostos eram malvistos, pois, além de muitas vezes serem desonestos com os impostos, estavam sempre em contato com pessoas impuras. Logo, eles também eram considerados impuros. Ter uma pessoa dessas entre os discípulos de Cristo, segundo os fariseus, contaminaria a todos. Comer era um ato extremamente seletivo no mundo judaico. O que comer e com quem comer? Observando as leis e as tradições dos antigos, os mestres eram seletivos. Jesus passa por cima de tudo isso. Senta à mesa com Mateus e com os demais impuros e come com eles. Isso provoca a incompreensão dos ortodoxos. Jesus está mais preocupado com a misericórdia do que com leis e tradições (cf. Os 6,6). Afinal, a comunidade cristã busca os pecadores e os alcança, mas não consegue alcançar os autossuficientes diante de Deus. Moral da história: Jesus não exclui ninguém, mas só os humildes aceitam seu convite.

Frei Bruno Godofredo Glaab, ‘A Bíblia dia a dia 2022’, Paulinas.